Os 20 Selos Solares

No abecedário da Lei do Tempo, há 20 selos solares que, combinados com os 13 Tons Galácticos, formam todas as alternações possíveis nos 260 kins medidos pela Matriz Tzolkin.

Os selos solares, ou simplesmente selos, são caracterizados por glifos, geralmente apresentados num formato quadrado, e coloridos pelas quatro cores típicas: vermelho, branco, azul e amarelo.

Os vinte selos solares representam um ciclo ordenado de 20 unidades e, portanto, medem um vinal, ciclo de vinte dias. Cada selo equivale a um número (de acordo com sua posição de 1 a 20), uma cor, um poder e uma simbologia/arquétipo.

O Dragão dá nascimento às coisas e as nutre; o Vento as move e comunica o seu sentido espiritual; a Noite deixa que penetre o sentido na psique através dos sonhos e da abundância do Universo, para que a Semente acerte no florescer da matéria e a Serpente mantenha a força vital da sobrevivência, para transcender a morte e contatar outras dimensões do Enlaçador de Mundos , e compreender a missão de cura que todos cumprimos com a Mão , para embelezar tudo na vida da Estrela em relação à pureza emocional da Lua , e assim experimentar o amor e a lealdade do Cachorro , e desfrutar a magia da vida como o Macaco ao poder manifestar o livre-arbítrio do Humano , para se dar conta das coisas e explorar o espaço do Caminhante do Céu , e mudar a percepção do tempo do Mago e assim ver tudo o que foi criado pela Águia , e poder questionar tudo sem medo como o Guerreiro , navegando com sincronicidade na evolução da Terra , ao chegar ao reflexo da transparência em todas as relações do Espelho , para provocar uma transformação na Tormenta , mostrando e iluminando tudo sob o Sol .

Isoladamente, podemos dizer que esses vinte desenhos representam apenas os vinte selos solares. Somente quando combinados a um dos 13 tons galácticos que se resulta um Kin. Um kin é uma unidade dentro do Tzolkin, e é formado por um selo solar + um tom galáctico.

É comum que o selo solar seja o objeto principal de observação ao interpretarmos um kin ou até mesmo quando iniciamos o estudo da Lei do Tempo, devido à sua aparência colorida e amigável, porém há sempre muito mais para se observar, e, mesmo que cada selo solar possua atributos únicos, há muitos fatores que alteram o seu significado final, como o tom ao qual ele está atrelado, que por consequência o posiciona em uma Onda Encantada específica.

Os selos solares sempre seguem a mesma ordem, começando do Dragão Vermelho (número 01) e indo até o Sol Amarelo (número 20). Esse ciclo nunca termina, pois ao chegar no Sol Amarelo (número 20), o selo seguinte deve ser, novamente, o Dragão Vermelho (número 01), criando a ideia de um círculo, e não de uma linha reta.

Se você já é familiar com os doze signos do zodíaco, nesse sentido pode-se dizer que o funcionamento é bastante similar: nesse caso o ciclo inicia com Áries e segue até Peixes. Quando o período de Peixes termina, significa que o círculo completou uma volta e retorna para a posição inicial, Áries. O mesmo ocorre com os vinte selos solares, que vão do Dragão até o Sol.

Em alguns momentos do estudo da Lei do Tempo, você irá encontrar o Sol Amarelo marcado como número 0 ao invés de número 20, o que está absolutamente correto, pois ele sempre precede o Dragão Vermelho (número 01).

Os vinte selos estão ordenados de tal maneira que podemos observar um ciclo completo da evolução de um ser. Desde o nascimento (dragão vermelho) até a iluminação (sol amarelo), e em meio a isso, todas as facetas de uma experiência viva, da mais primitiva até a mais complexa.

Nessa sequência arquetípica, cada selo desempenha um papel essencial para o equilíbrio do círculo. Nenhum é maior ou melhor que o outro, todos possuem aplicações únicas.

Seria esse conjunto de vinte selos solares, idealizado originalmente pelos maias, uma abordagem completa sobre a vida de todo ser humano?

O design dos Selos Solares

O desenho de cada um dos 20 selos solares é baseado nas já conhecidas escrituras dos vinte glifos do Tzolkin original da civilização maia, que data milhares de anos atrás. Na época, e ao longo de muitos anos, os desenhos seguiam os traços típicos da civilização e da cultura, geralmente esculpidos, moldados ou pintados em pedra, e inseridos dentro de um formato típico com um pedestal, mas que eventualmente eram estilizados de maneira diferente e, em outros registros mais atuais, escritos em papel de forma mais minimalista.

Registros originais dos selos maia 1, 2, 3 e 4, em duas versões.

Evidentemente, ao apresentar o Encantamento do Sonho, José Argüelles simplificou ainda mais os selos, diminuiu a quantidade dos traços de cada um e adicionou cores (que criam uma configuração específica), trazendo uma nova identidade e um novo visual para eles, no intuito de “modernizar” a linguagem ancestral do calendário maia e tornar seu aprendizado mais simples e lúdico. O conceito de cada selo, no entanto, foi mantido e remete ao original, mesmo que agora seja desenhado de forma diferente.

Na página de agradecimentos do livro Encantamento do Sonho – A Viagem da Nave do Tempo Terra 2013, encontra-se uma menção feita por José Argüelles, atribuindo à “sua filha Heidi Mecklenburg” os créditos pela primeira versão digitalizada e vetorizada dos desenhos dos 20 selos solares como os conhecemos hoje.

Nas práticas da Lei do Tempo, é comum desenhar e colorir os Selos para memorizá-los. Sinta-se livre para desenhá-los à sua própria maneira, mais retilíneos ou mais arredondados, de acordo com o seu próprio traço, sem prender-se ao formato original encontrado nos materiais. Isso torna o aprendizado mais divertido e espontâneo.

Interpretando um Selo Solar

Para partir a níveis mais avançados de estudo da Lei do Tempo, é indispensável o domínio dos vinte selos. Em poucos dias de estudo, você será capaz de reconhecer cada um dos desenhos dos vinte selos, saber suas cores correspondentes, seus nomes e seu número dentro da ordem de 20 selos pré-definida.

O reconhecimento imediato dos selos possibilita que novos aprendizados cheguem até você com mais facilidade, como a assimilação de uma nova linguagem. Os vinte selos passarão a funcionar, literalmente, como um novo alfabeto para você, e é evidente que aprender a ler um novo idioma requer o mínimo de prática.

Após conhecer de maneira bem sedimentada cada um dos selos, perceberá que cada um deles possui três atributos, que chamamos de poder, ação e essência. Estes são como as palavras-chave para cada um dos vinte selos solares.

É a partir dessas três palavras-chave que formamos nossas primeiras concepções a respeito do significado de cada selo. Neste site você encontra uma página para cada um dos selos, repleta de informações e referências para estudá-los. É importante que, além de seguir as definições já encontradas nesses e em outros materiais, você formule suas próprias ideias e perceba, através do estudo e da prática individual, o que cada selo significa para você.

Durante qualquer processo de aprendizado, unir a parte racional com a parte intuitiva do cérebro facilitará a memorização e a assimilação. As poucos você descobrirá que os selos solares possuem utilidades que são, ao mesmo tempo, racionais e intuitivas, práticas e subjetivas, como yin e yang.

O ato de interpretar um selo solar se torna mais simples à medida em que você adquire o conhecimento teórico sobre cada um deles e coloca isso em prática no seu dia-a-dia, de acordo com as diversas práticas que a Lei do Tempo propõe.

Ainda que haja um conjunto de palavras pré-definidas que descrevem um Selo, não há como interpretá-lo de maneira estática, pois, como já dito, ele está sujeito a muitos fatores.

Conforme avança no estudo, perceberá que a interpretação necessária virá intuitivamente e de maneira descentralizada, ou seja, ao consultar, por exemplo, o kin do dia, você também assimilará diversas outras configurações presentes na data, sem a necessidade de interpretar o Selo isoladamente.